Blog do CineMaterna

CinePaterna é um colo para os pais

por Irene Chissa Nagashima, 06 de agosto de 2018

Nestes 10 anos de existência do CineMaterna, não percebo mudança na relação dos homens com a paternidade, de uma forma geral. Claro que não é como a geração dos nossos pais ou avós, quando era esperado que os homens fossem meros provedores econômicos. Nas sessões que acontecem aos sábados, desde sempre vejo papais trocando fraldas e acalentando seus bebês - com orgulho. Mesmo assim, não dá para concluir que nestas famílias, há divisão de tarefas em casa, porque compartilhar esta criação vai muito, muito além disso.

O que noto é que desde que o CineMaterna começou, há, isso sim, mais foco na precisão dos termos, na diferença entre um pai "ajudar" uma mãe e ambos dividirem, compartilharem a criação, cuidarem junto seus filhos. A tal da "paternidade ativa" precisa ser um movimento de reflexão da sociedade sobre o papel dos homens na criação dos filhos. Vai muito além do homem repensar o que é ser pai. A repercussão precisa ser mais profunda, necessitamos rever a forma como toda uma sociedade pensa e age, incluindo as mulheres. Por exemplo, quando uma mãe viaja a trabalho (como eu), é frequente ouvir a pergunta: com quem ficam os filhos? Quando a resposta é "com o pai", surgem rostos de interrogação, muitas vezes, de mulheres, tornando praticamente mandatório explicar que as crianças ficam bem só com ele.

Nosso logotipo do CinePaterna, sessões aos sábados, dia em que os pais têm mais chance de acompanhar a família no cinema, foi inspirado nesta co-criação: o colo do pai é diferente do colo da mãe, mas tão importante quanto. Por isso, a figura central é invertida, os colos são diferentes, mas pai e mãe são representados da mesma forma.


Eu, como mãe, preciso me acostumar que tenho um marido que é pai muito presente, frequentemente mais que eu e sim, não raro me sinto culpada e tenho ciúmes. Tento minimizar estes sentimentos lembrando como meus filhos são felizes por ter um pai tão companheiro e que isso é um ótimo modelo, afinal, são dois meninos. Acalma o coração saber que estamos criando um mundo melhor.